Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Dezembro, 2014

dia de natal (2)

imagens editadas daqui e daqui

Anúncios

Read Full Post »

clique para mais informações

clique para mais informações

Read Full Post »

Na sequência do estudo do universo de Pessoa, os alunos do 12ºA realizaram uma atividade de escrita em que lhes era pedido que escolhessem uma imagem-metáfora de um tema selecionado por eles nesse universo fragmentário do poeta: um heterónimo, uma linha temática, um poema… associando a imagem, sem cair no nível meramente descritivo, ao tema escolhido.

Publicados todos os textos no Moodle da disciplina, os próprios alunos votaram anonimamente no que, pela criatividade, rigor e qualidade de expressão, gostaram mais. Depois de uma votação onde teve lugar uma segunda volta para o desempate, aqui fica o que ganhou o 1º lugar, com direito a um livro com a obra heterónima de Pessoa como prémio. Em breve, os outros textos premiados, assim como as menções honrosas, serão igualmente alvo de publicação aqui no Bibli.

Fernando Rebelo (professor de Português)

Ricardo Reis e a Inevitabilidade da Morte

skull and gondolaDos três heterónimos de Fernando Pessoa estudados, Ricardo Reis foi aquele que despertou em mim maior interesse, pelo facto de ambos recearmos a morte.

Este heterónimo de Pessoa admira a calma e serenidade com que Aberto Caeiro, o seu mestre, encara a vida e tenta alcançar essa paz de alma e equilíbrio através da autodisciplina e do Epicurismo e Estoicismo, duas doutrinas gregas.

Reis, admitindo que a morte é uma coisa inevitável e que é a única certeza que temos na vida, tenta levar uma vida o mais calma e equilibrada possível, evitando qualquer tipo de sofrimento, não cedendo aos impulsos dos seus instintos (epicurismo) e mostrando-se indiferente às paixões. Ele acredita que não vale a pena envolver-se demasiado e deixar-se levar pelas suas emoções, pois tudo terá um fim e será mais fácil lidar e aceitar a morte se não tiver nada a perder (estoicismo).

A vida de Reis segue assim o seu percurso, de uma forma tranquila, um remo de cada vez. No entanto, ele não testa a água, não salta nela e se atreve a nadar; ele não corre esses riscos, e continua sentado na sua embarcação, focando-se apenas nas paisagens a seu redor e disfrutando dos pequenos prazeres do momento.

Porém, a morte está sempre presente em todos os aspetos da nossa vida, em qualquer coisa que façamos, quer se pense nela, quer se a ignore. Não lhe podemos escapar e nunca sabemos quando se vai manifestar. Paira sobre nós como uma sombra: presença indesejável e incessante do destino.

A efemeridade da vida pode conduzir qualquer um à loucura, mas Reis conseguiu desenvolver uma estratégia que lhe permitiu aceitar e viver conforme as leis do destino.

A vida/ Passa e não fica, nada deixa e nunca regressa / Vai para um mar muito longe, para ao pé do Fado / Mais longe que os deuses. […] Quer gozemos, quer não gozemos, passamos como o rio. / Mais vale saber passar silenciosamente / E sem desassossegos grandes.

Apesar de eu não conseguir concordar plenamente com a sua filosofia, admiro a sua força de vontade necessária para não ceder aos seus instintos e não se envolver demasiado com o intuito de evitar o sofrimento.

Elena Ostrovan, 12ºA

Fonte da imagem – Skull and gondola: http://metamythic.com/metamorphic-skull-illusions/

Read Full Post »

Medicina

Medicina

Com a atribuição dos Prémios Nobel em 10 dezembro, data da morte do patrono Alfred Nobel, continua o reconhecimento internacional dos“ melhores entre os melhores”.

Desde a atribuição dos primeiro prémios em 1901 o anúncio dos laureados é acompanhado com muita expetativa pelos media começando com a indicação dos contemplados pelo prémio respeitante à Fisiologia e Medicina. Os contemplados foram o norte- americano John O´Keef, professor da University College de Londres e o casal de investigadores noruegueses, May-Britt e Edvard Mosel, pelas suas descobertas sobre as “células que constituem um sistema no cérebro de determinação da posição”, identificando células que explicam a capacidade de orientação do cérebro o que se pode considerar uma espécie de GPS interno.

Física

Física

O prémio Nobel da Física foi atribuído aos investigadores japoneses Isamu Akasaki e Hiroshi Amano e ao norte-americano e Shuji Nakamura reconhecidos pela invenção do díodo eletroluminescente (LED), que permite significativas poupanças de energia. O júri referiu o aspeto revolucionário desta invenção considerando que “enquanto as lâmpadas incandescentes iluminaram o século XX, o século XXI será iluminado pelas lâmpadas LED”.

Química

Química

Os norte-americanos Eric Betzig e William Moerner e o alemão Stefan Hell venceram o Nobel da Química pelos melhoramentos que introduziram no microscópio. Os três químicos foram recompensados pelo “desenvolvimento da microscopia fluorescente em alta resolução”, o que permite visualizar “dentro das paredes das moléculas individuais em células vivas” tornando, assim, mais eficaz a compreensão de doenças como a de Parkinson, Alzheimer e de Huntington.

Literatura

Literatura

O Nobel da Literatura foi atribuído ao escritor intimista e misterioso Patrick Modiano reconhecido porque “através da arte da memória, evocou os mais inapreensíveis destinos da Humanidade”. O 15º autor de língua francesa a ser distinguido com este prémio já tinha recebido numerosas distinções nomeadamente os Prémios Marguerite Duras, Grande Prémio de Romance da Academia Francesa assim como o Prémio Goncourt.

Paz

Paz

O disputado Prémio Nobel da Paz, este ano, não teve contestação pois premiou figuras humanas ímpares como sejam a corajosa  ativista paquistanesa Malala Yousafzai e o incansável ativista dos direitos humanos o indiano Kailash Satyarthi.  Foram premiados “pela sua luta contra a opressão das crianças e dos jovens e pelo direito de todas as crianças à educação”,conforme anúncio do presidente do Comité Nobel norueguês, Thorbjoern Jagland, acrescentando ainda que “as crianças devem ir à escola enão serem exploradas financeiramente”. Malala foi atacada, no dia 9 de outubro de 2012, por fundamentalistas que invadiram o autocarro onde seguia para a escola, tendo acabado por ser baleada na cabeça. Tornou-se num símbolo de resistência aos esforços dos talibãs em negar educação e outros direitos às mulheres facto reconhecido internacionalmente com a atribuição de inúmeros prémios da área dos direitos humanos. Kailash Satyarthi, de 60 anos, é um ativista indiano dos direitos das crianças lutando há várias décadas contra o trabalho infantil e através da sua organização ‘Bachpan Bachao Andolan’ já libertou mais de 80 mil crianças da escravidão, ajudando-as na sua reintegração, reabilitação e educação.

Economia

Economia

Neste ano mais um cidadão francês foi distinguido, neste caso, com o Nobel da Economia atribuído ao economista da universidade de Toulouse, Jean Tirole, pela investigação sobre o poder de mercado das empresas e sua regulação. Jean Tirole foi o terceiro francês a receber este prémios sendo, há vários anos, um dos fortes candidatos pois é considerado um dos mais influentes economistas da atualidade. O júri destacou que “muitas indústrias são dominadas por um pequeno número de grandes empresas ou um único monopólio. Sem regulação, estes mercados produzem resultados socialmente indesejados – preços mais altos do que os que resultam dos custos ou empresas improdutivos que sobrevivem porque bloqueiam a entrada de outras, mais novas e mais produtivas”. O prémio da Economia, entregue pela primeira vez em 1969, é o único que não estava incluído no testamento original do cientista e filantropo sueco, Alfredo Nobel, tendo sido criado em 1968 pelo Banco Central Sueco para celebrar o seu tricentenário.

cerimónia de entregue dos Nobel

Cerimónia do Nobel

Como é da tradição, os premiados recebem um diploma, uma medalha Nobel em ouro e uma importância que varia conforme as receitas da Fundação Nobel no ano a que os prémios dizem respeito. A entrega formal dos prémios é feita na Câmara Municipal de Oslo, Noruega, para o Nobel da Paz enquanto os restantes são entregues pelo rei sueco no Palácio de Concertos em Estocolmo.

Luísa Oliveira

imagens daqui e daqui

Read Full Post »

pavexp

Read Full Post »

Juan-Goytisolo-007El escritor no puede simplemente abandonarse a la inspiración, y fingir inocencia vis a vis lenguaje, porque el lenguaje no es inocente.

Juan Goytisolo

El español está en tu escuela por lo que aquí está una noticia muy importante para el mundo hispano.

El escritor Juan Goytisolo, ha sido galardonado el 24 de noviembre con el premio Cervantes 2014, el más importante de las letras en habla hispana. El premio, otorgado por el Ministerio de Educación, Cultura y Deporte, será entregado el 23 de abril en la Universidad de Alcalá de Henares.

Juan Goytisolo (Barcelona, 1931) es uno de los escritores con más tradición narrativa de la lengua española. Su obra envuelve  novelas, libros de cuentos y viajes, ensayos y poesía (Juegos de manos; España y los españoles; Las virtudes del pájaro solitario; Memorias; El exiliado de aquí y de allá; Ensayos sobre José Ángel Valente). Colaborador del periódico El País, ocupa un lugar ineludible en las letras hispanas y es uno de los intelectuales más críticos desde siempre.

Teresa Valentim

(profesora responsable por el Club de Español)

Read Full Post »

bichosNo mês das festas natalícias, estreiam-se alguns eventos relacionados com o cinema. Em Almada, entre os dias 10 e 13 de dezembro, o projeto Amor Rafeiro traz ao Auditório Fernando Lopes Graça, no Fórum Romeu Correia, a primeira edição de BICHOS! Animais na Sétima Arte, um ciclo de cinema dedicado aos animais, com uma programação que interessará não só aos amantes de bom cinema como a todos aqueles para quem o respeito pelos animais é uma questão de cidadania. Com exibição de produções independentes nacionais e internacionais de ficção e animação programadas para adultos, famílias e escolas, as receitas de bilheteira reverterão para a construção do futuro canil/gatil multiusos do concelho de Almada.

No Porto, de 4 a 13 dezembro, realiza-se a primeira edição do Festival Internacional de Documentário e Cinema do Real com a projecção de 52 filmes sendo 12 em competição, complementadas com várias iniciativas entre as quais a secção dedicada aos direitos humanos. No dia 11, data de aniversário de Manoel de Oliveira, será exibida a sua mais recente criação a curta-metragem “O velho do Restelo”.

No que respeita a estreias, o realce para o excelente Interstellar de Christopher Nolan que certamente, se tornará um clássico da ficção científica. A partir dos escritos do astrofísico da universidade da Califórnia, Kip Thorne, sobre mecânica quântica, viagens no tempo, buracos negros, Matthew McConaughey protagoniza uma emocionante obra que, além de uma reflexão sobre o destino da humanidade após os recursos do planeta se esgotarem, representa um hino à vida. Para quem quer passar momentos hilariantes na sala de cinema, aconselho Orgulho de Matthew Warchus, um delicioso filme baseado em factos verídicos ocorridos em Inglaterra em 1984 durante o governo de Margareth Thatcher no período de greve dos mineiros britânicos, quando estes tiveram o apoio inesperado de grupos de gays e lésbicas o que, como seria previsível, provoca situações de conflito mas também de cumplicidade. Serena, realizada por Susanne Bier em 2012 a partir da adaptação do romance homónimo de Ron Rash, apresenta, pela terceira vez, o par romântico Jennifer Lawrence e Bradley Cooper num drama ocorrido na época da Grande Depressão de 1929. Um quadro pintado em finais do século XVIII com Dido Elizabeth Belle, filha ilegítimas de um capitão da Marinha inglesa e de uma escrava negra, foi a inspiração para Belle de Amma Asante que, além do drama amoroso, descreve os preconceitos da sociedade da época e a campanha a favor da abolição da escravatura. O primeiro filme de Dan Gilroy Nightcrawler-reporter na noite é uma sarcástica reflexão sobre o papel dos media, com Jake Gyllenhaal numa interpretação magistral de um repórter freelancer que utiliza todos as estratégias para sobreviver e ascender profissionalmente num meio desprovido, inúmeras vezes, de valores éticos. Reflexão sobre um tema atual em que a comunicação social é dominada pelo sensacionalismo e manipulação com o objetivo de satisfazer um público sedento de violência e de notícias choque. Os excelentes realizadores belgas Luc e Jean-Pierre Dardenne tratam, igualmente, temas atuais como a precariedade do emprego e o flagelo do desemprego em Dois dias, uma noite em que Marion Cotillard encarna, de forma brilhante e realista, uma personagem que tem um fim-de-semana para convencer os seus colegas a prescindirem de bonificações para ela manter o emprego. Diferente mas que se vê com agrado A viagem a Itália de Michael Winterbottom com Steve Coogan e Rob Brydon na adaptação de uma série da BBC sobre gastronomia e, neste caso, a italiana. A decorrer no contexto italiano a comédia Viva a liberdade de Roberto Ando. Um verão na Provença de Rose Bosch apresenta-nos uma obra sobre o confronto de gerações com a qualidade que o cinema francês nos habituou. Para os que apreciam biografias têm a possibilidade de assistir a documentários sobre músicos carismáticos do século XX com 20.000 dias na Terra de Iain Forsyth e Jane Pollard sobre Nick Cave e Get on up de Tate Taylor sobre James Brown assim como a película Saint Laurent de Bertrand Bonello sobre o homónimo estilista francês que dominou o mundo da moda. John Wick de Chad Stahelski e David Leitch apresenta acção e aventura dirigida aos inúmeros fãs de Keanu Reeves. Quando se comemora cem anos do início da 1ª guerra mundial Pontes de Sarajevo expõe curtas-metragens de treze realizadores europeus de várias gerações entre os quais Teresa Villaverde com olhares sobre a cidade que marcou o destino de milhões. Com um objetivo idêntico Rio, eu te ama uma súmula de dez curtas-metragens de igual número de realizadores sobre temas ligados à “ cidade maravilhosa”. Por fim, The hunger games: a revolta, parte 1 de Francis Lawrence continua a famosa saga baseada na trilogia dos livros de Suzanne Collins.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quanto a notícias sobre produções nacionais, dois filmes co-produzidos pelo Cine-Clube de Avanca foram distinguidos no evento “The Spirits of the Earth Internacional Film Festival” em Castello della Rovere na cidade italiana de Vinovo em Turim onde são apresentadas obras preocupadas com a sustentabilidade, a ecologia e a cultura. Lágrimas de um Palhaço do premiado Cláudio Sá, ganhou o Prémio de Melhor Filme de Animação, sendo o Prémio para o Melhor Filme feito por estudantes  atribuído à curta-metragem de animação Os Guardiões das Florestas, adaptação de uma obra literária de Evandro Morgado realizado por estudantes da Escola E/B 2.3 Dr. Bento Carqueja de Oliveira de Azeméis e produzido ao longo do ano escolar numa oficina orientada por animadores do Cineclube de Avanca. Fuligem, de David Doutel e Vasco Sá, venceu a 38.ª edição do Cinanima – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho na competição internacional a que concorreram dezanove países ganhando, igualmente, o prémio António Gaio a que se candidataram onze obras de realizadores portugueses de mais de trinta anos.

Luísa Oliveira

Read Full Post »

Older Posts »