Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Bibliotequices’ Category

Concurso Literário Escolar + Leitura + Sucesso – participação da ESDS/ AEDS premiada.

A aluna Sara Boisseau Varino dos Santos, 12º ano, B, que aceitou o desafio da Biblioteca Escolar, foi distinguida com o Prémio do 3º escalão para a modalidade de poesia com o texto “No Canto Rasgado de um Guardanapo”, que a seguir se publica, entre os 13 trabalhos a Concurso.

O júri do Concurso Literário Escolar constituído por João Paulo Proença, Coordenador Interconcelhio para as Bibliotecas Escolares do Concelho de Almada, Armando Correia, Técnico Superior da Área da Educação da Câmara Municipal de Almada e Davide Freitas, Técnico Superior da Rede Municipal de Bibliotecas de Almada, procederam à apreciação dos trabalhos  apresentados a Concurso pelos Agrupamentos Escolares do Concelho de Almada e assim o decidiram.

Foram rececionados na Divisão de Bibliotecas e Arquivos 30 trabalhos, 17 na modalidade de conto e 13 na modalidade de poesia, de 10 Agrupamentos Escolares do Concelho de Almada, produzidos por 28 alunos, identificados com pseudónimo e com os títulos por escalão.

A participação de sucesso da aluna Sara Boisseau é mais um motivo de orgulho para a nossa comunidade escolar e uma prova de que vale sempre a pena investir nos projetos das Bibliotecas Escolares. Parabéns!

Dulce Sousa

poema

Luís Vasconcelos-praia coleção

Fotografia original de Luís de Vasconcelos, selecionada por Sara Boisseau

Em jeito de testemunho

Iniciei o meu 7ºano nesta escola em setembro de 2014. Agora, em junho de 2020, estou a acabar o 12ºano.

Pelas outras escolas por onde passei, a biblioteca foi, para mim, um local de passagem diária. Os livros sempre me fascinaram e acompanham-me desde pequena. Se a leitura sempre fez parte da minha vida, a escrita rapidamente me envolveu e se tornou a minha companheira confidente.

Nesta biblioteca cresci física e intelectualmente. Cresci com a biblioteca, e cresci na biblioteca. O banco que utilizava para chegar às prateleiras do fundo é hoje o mesmo banco que utilizo para aceder às mais altas prateleiras das estantes.  Foi através dos diversificados e atrativos livros da nossa biblioteca que estimulei a criatividade e o interesse pelas mais diversas áreas do saber. Foi na escola Daniel Sampaio que consegui conciliar o gosto pelos números, ingressando no curso de Ciências e Tecnologias, e pelas letras, explorando a biblioteca e participando ativamente nos vários desafios (e foram tantos!) promovidos pelos professores bibliotecários.

Entrei neste desafio pelo prazer de participar e ter sido o meu poema, entre outros, o escolhido, é, para mim, motivo de grande satisfação e alegria. O facto de ter sido uma escolha anónima deixa-me ainda mais feliz pois foi tida em conta, unicamente, a minha escrita, o que confere a este prémio um sabor mais especial.

A verdade é que o caminho se faz caminhando, e na biblioteca da escola Daniel Sampaio encontrei tudo o que precisava para que esta minha viagem tivesse sucesso. Os professores Fernando Rebelo e Dulce Sousa foram o meu farol, apontando-me o caminho. As auxiliares Fernanda e Helena assistiram-me ao longo do percurso, tornando a viagem mais simples. Divido com eles este prémio, porque ele também lhes pertence. A eles, os meus agradecimentos.

Hoje, estou a terminar o 12ºano. Em breve, encontrarei outra biblioteca. Mas não me despeço da biblioteca da escola Daniel Sampaio. Levo-a comigo, e ao mesmo tempo, deixo-a para vocês. Estou certa que a cadeira onde me sentava não ficará vazia, pois espero que este meu testemunho sirva de incentivo a outros caminhantes.

Sara Boisseau, 12ºB

Read Full Post »

Ainda completamente fora de tempo, mais vale tarde do que nunca, já que, à exceção da campanha Miúdos a Votos, todo o restante programa se cumpriu.

Dulce Sousa (PB ES Daniel Sampaio)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

                     Clique para aceder ao programa completo

Read Full Post »

Read Full Post »

Com a colaboração da professora Ana Guerreiro (EV) e, em especial, de alunos do 9º B – Gonçalo e Margarida – e do 9º E – GuilhermeMariana e Lucas – foi criado na Biblioteca da ESDS um mural alusivo às temáticas do “Dia das Bruxas”. Alunos cheios de talento e inspiradíssimos criaram, através do desenho e da ilustração, imagens que atormentam todos os que batem com os olhos no balcão da Biblioteca.
Visita esta criação e entra na temática das “Coisas Misteriosas” escolhendo um dos livros que temos ao teu dispor.
A Equipa da Biblioteca agradece a todos os que colaboraram na concretização da iniciativa.
Dulce Sousa

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

Um momento de partilha e de conhecimento. Inscreva-se.

clique para aceder ao programa do encontro

 

 

Read Full Post »

Cá estamos de volta. Num ano de grandes mudanças na nossa escola, a termos de nos adaptar a uma série de coisas terminadas em “idade” – flexibilidade, semestralidade, diversidade – , surgem igualmente algumas mudanças na biblioteca: ao cabo de 25 anos na BE da ESDS, achei que já era mais do que tempo de dar lugar a sangue novo. Assim, a Dulce Sousa é agora a Professora bibliotecária e, desde aqui, neste outro espaço da BE, lhe desejo o maior sucesso e ofereço o meu apoio para o que achar necessário. Desde logo, mantendo o papel de editor do Bibliblog, o projeto que iniciei há 11 anos por esta altura, contando com o regresso outonal dos autores e leitores para que, em conjunto, o possamos continuar.

Bom regresso!

Fernando Rebelo

Read Full Post »

Já são conhecidos os vencedores da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?». Esta edição, que contou com a participação de 78 382 alunos votantes de mais de 700 escolas, elegeu os livros que abaixo se exibem nos respetivos pódios. Curiosamente, enquanto no Ensino Secundário, o vencedor da ESDS é o mesmo que o escolhido a nível nacional, A Culpa é das Estrelas, o nosso vencedor local – O Principezinho –, nem surge no pódio nacional, onde reside, em primeiro lugar, Harry Potter e a Pedra Filosofal, que também foi alvo de campanha cá na escola.

Para saber tudo sobre o desfecho desta iniciativa aceda aqui.

Read Full Post »

Nota: turmas dinamizadas pela professora Mª de Jesus Gaspar

Read Full Post »

Read Full Post »

sonho 3ºCiclo.jpg

A minha biblioteca de sonho

É um sítio irreal

Nas nuvens eu a ponho

É por isso especial.

 

Sossego, luz, cultura

É o que não vai faltar,

Depois da imaginação pura

À Terra vou voltar.

 

E eis que encontro parecido

Um agradável lugar

Onde tudo faz sentido

E a sabedoria está no ar.

 

Simpatia e amabilidade

Eu consigo encontrar,

Pois esta é na verdade

A minha biblioteca escolar.

Madalena Vitorino, 9º C

Read Full Post »

sonhos sec

Prémio

Uma “biblioteca de sonho” é, no mínimo, uma expressão estranha numa sociedade em que tudo o que é “de sonho” se afasta cada vez mais do livro. Mas, como diria Neil Gaiman, “um livro é um sonho que tu seguras nas tuas mãos”, e se calhar é mesmo isso que falta nesta sociedade, sonhar.

Se calhar é isso mesmo que nos falta, falta-nos os mundos, as personagens a ficção, falta-nos as lágrimas, o riso, o suspense, falta-nos descobrir o mundo sem sair do quarto, falta-nos viver mil vidas num virar de página.

E, se um só livro é tudo isto, então o que será uma biblioteca senão a porta para um novo mundo? Porque nunca uma biblioteca é “apenas uma biblioteca”, é, porém, uma nave espacial, que nos leva aos mais longínquos cantos do universo, ou uma máquina do tempo, que nos transporta do passado para o futuro num simples piscar de olhos, ou uma professora, que tem mais a ensinar que qualquer ser humano, ou uma amiga que te entretém e consola, quando mais ninguém o consegue fazer – mas, acima de tudo, um refúgio, para uma vida melhor e mais feliz.

É certo, então, que nunca uma “biblioteca de sonho” precisou de ser grande, bem decorada, ou ter livros mais eruditos, uma “biblioteca de sonho” não precisa mais do que um livro, daqueles que nos fazem sonhar, e apenas um leitor, de preferência, daqueles que ainda sabem sonhar.

Lara Alves, 12ºE

Menção Honrosa

A minha biblioteca de sonho teria a mesma função que as bibliotecas atuais: preservar o que de melhor há no mundo, os livros.

Esta minha biblioteca paradisíaca seria acessível a todos os que dela quisessem desfrutar, independentemente das idades. A sua estrutura seria de vidro e as poucas paredes deveriam ter cores vivas e alegres.

Para além das estantes mágicas com toda a variedade de livros, imagine-se a entrar numa sala deslumbrante, sobre um grande e retângular tapete vermelho, cujas portas cor de mel convidam o leitor a entrar. Experimente olhar à sua direita. Sentado nessa modesta cadeira pode observar Fernando Pessoa, que o espera para conversar. Entre e satisfaça a sua curiosidade. Saia e dirija-se a qualquer uma das outras centenas de portas nessa sala, pois, em cada uma delas, encontrará um grande escritor que anseia  dialogar consigo, respondendo a todas as suas inquietações.

A minha biblioteca de sonho daria vida aos livros, mas, principalmente, aos seus escritores, pois mais do que preservar os livros, é preservar a memória de quem os escreveu.

Sara Boisseau dos Santos, 11ºB

 

Read Full Post »

edh

Abrimos a “caixa dos sonhos” e fomos ver que bibliotecas haviam sonhado os nossos alunos ao longo do mês de outubro. Em breve publicaremos os melhores textos do 3º Ciclo e do Secundário.

Read Full Post »

cartaz mibe2

Durante o mês de outubro gostaríamos que descrevesses a tua biblioteca de sonho – informa-te na BE e ganha um prémio pela partilha do  sonho mais imaginativo.

Read Full Post »

10m

Read Full Post »

DML_2018_Cartaz_baixa_res

Read Full Post »

Olá! Somos a Beatriz Lapa e a Clara Arraiolos, do 10°A, e gostávamos de vos contar a nossa experiência em relação à atividade Ler pr’a ti é um prazer.

Por gostarmos as duas de ler, decidimos aderir à proposta que a professora Isabel Vinhas nos fez e preparámos a nossa leitura. Não nos levou muito tempo, o suficiente para ficar uma leitura estável. Eu, Beatriz, decidi ler um excerto do livro O principezinho, enquanto que eu, Clara, preparei um excerto do livro Marley & Eu.

Durante a Quinzena da Leitura, fomos então a duas salas com turmas do 7° ano e partilhámos a nossa leitura com os alunos, que ficaram bastante interessados e atentos. Sentimo-nos um pouco nervosas ao início, mas acabou por correr tudo bem e a nossa leitura fluiu, tendo toda a gente entendido o que lemos.

Passado algum tempo, os alunos de uma das turmas do 7° ano vieram, por seu turno, à nossa sala para nos retribuírem, lendo os seus excertos. Assim, conseguimos dar-lhes a oportunidade de expressarem o seu entusiasmo não só a ouvir-nos, como também nós a eles.

Por fim, achamos que foi uma atividade deveras interessante, tanto pelo facto de conhecermos novas caras larocas como no facto de ser um método diferente de aprendizagem. Convidamos todos os alunos a aderirem a esta atividade, não se irão arrepender!

Beatriz Lapa e Clara Arraiolos, 10°A

Read Full Post »

Older Posts »