Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Acontece…’ Category

Festa Medieval realizada pelos alunos de Humanidades

Realizou-se no passado dia 13 de junho de 2019, na Escola Secundária Daniel Sampaio, uma festa medieval organizada pelos alunos da turma do 10.ºF de Humanidades e as professoras das disciplinas de Filosofia, História A e Português, e também com a participação da diretora de turma, a professora de MACS, sem a qual este projeto não seria possível.

Esta festa medieval consistiu numa crítica à sociedade da época, para a qual os alunos realizaram peças de teatro representando as várias classes sociais, nobreza, clero e povo e trajaram conforme a sua classe social ou grupo profissional.

Neste projeto, havia padres, frades, freiras, padeiras, camponesas, taberneiras, estalajadeiras, alcoviteiras, Rei e Rainha, esbirros, enforcados, entre outros.

Durante as representações, alunos de outras turmas, que assistiam aos espetáculos, teceram muitos comentários positivos acerca do referido projeto. Desejaram fazer parte desta “viagem ao tempo medieval”.

A música rasgou o tempo e renovou o ambiente, alunos cantaram, declamaram, tocaram, professores e alunos dançaram, enfim, a alegria foi a principal convidada desta festa de união!

Realizou-se também um grande almoço com as iguarias da altura, como enchidos, favas, leitão, queijos, morcelas, muito pão, com louças de barro e talheres de madeira, tendo sido tudo muito bem apreciado e comentado pelo 10.ºF e professores, pela qualidade extrema da comida e decoração feita pelos alunos e especialmente pela professora de MACS.

Foi um projeto muito interessante que os professores tencionam repetir para o ano envolvendo igualmente outras turmas. Parece-me que iremos viajar para outra época… Apertem os cintos!

Mafalda Castro, 10.º F

festa medieval.jpg

Uma manhã medieval

A idade média homenageada pela idade contemporânea

Iniciando os preparativos para o que seria um dia fora do comum, os alunos da turma 10ºF do curso de Humanidades atraíram para a Escola Secundária Daniel Sampaio um espírito medieval que deu lugar, desde cedo, a um clima de fraternidade entre colegas e professores que fariam deste dia um marco para o fim do ano letivo.

Foi ao som dos sinos que marcavam as 11:30 horas do dia 13 de junho que se deu início à encenação de uma missa que, num tom sátiro, porém sério, conseguiu criticar (de forma geral) a sociedade medieval. Seguiu-se, então, o começo do ‘jantar’ com a inusitada aparição de cinco personagens lendárias da época medieval, sendo elas a Padeira de Aljubarrota, Deuladeu Martins, Inês de Castro, a Rainha Santa Isabel de Aragão e a menina da Capa Rica que, contando as suas lendas, pediram permissão a ‘El-Rei’ para se juntarem ao banquete.

A mesa recheada de iguarias tradicionais, que tinha os lugares reservados somente para os importantes integrantes da corte, não conseguiu privar os alunos das emoções deste convívio que lembrava o término das aulas. Foram, assim, erradicadas as desigualdades sociais características da época medieval pela espontaneidade do ‘jantar’, podendo os elementos das diferentes classes sociais comer juntos, num alegre convívio.

Enquanto decorria o ‘jantar’, tornou, novamente, à escola um cenário de representação com a intervenção dos esbirros apresentando dois criminosos a ‘El-Rei’: um feiticeiro e um ladrão que havia roubado a coroa real. Por iniciativa da rainha, a corte gritou por “morte ao ladrão”, que consequentemente foi enforcado.

No mesmo ambiente de encenação, surgiu uma donzela perante o monarca queixando-se de que havia sido assediada por um monge – uma crítica ao clero medieval, que mostrou a impunidade da igreja na respetiva época.

O desfecho desta agradável manhã deixa na lembrança o som da música, as conversas, gargalhadas e a dança das fitas realizada pelas donzelas e senhoras, bem como um sentimento de realização, pelo sucesso do evento, por parte dos alunos e professoras Rute Magalhães, Antónia Gomes, Luísa Ferreira e Carmo Gomes, responsáveis pela organização do mesmo.

David Ramos e Raquel Ponge, 10ºF

Read Full Post »

Já são conhecidos os vencedores da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?». Esta edição, que contou com a participação de 78 382 alunos votantes de mais de 700 escolas, elegeu os livros que abaixo se exibem nos respetivos pódios. Curiosamente, enquanto no Ensino Secundário, o vencedor da ESDS é o mesmo que o escolhido a nível nacional, A Culpa é das Estrelas, o nosso vencedor local – O Principezinho –, nem surge no pódio nacional, onde reside, em primeiro lugar, Harry Potter e a Pedra Filosofal, que também foi alvo de campanha cá na escola.

Para saber tudo sobre o desfecho desta iniciativa aceda aqui.

Read Full Post »

Os passos ouvia-os agora mais sonoramente: eles vinham, e todas as portas se abriam à sua frente. Como repeli-los e como não amá-los também? Sentiu que os joelhos se lhe esfriavam e como que um banho de gelo a ia atingindo até à cintura, e subindo; as mãos guardavam algum calor, mas não as movia mais. Um sopro mais brusco do vento fez entreabrir as portas da varanda, e Quina, num último olhar, abrangeu aquele céu esverdeado do amanhecer e que era imenso, e que, como em ondas do espaço, continuava mesmo através dos mundos, das estrelas vivas ou extintas. Os seus lábios emudeceram, e o som dos passos deteve-se, por fim, sobre o seu coração. A mão, um instante depois, deslizou e ficou fora do leito, com a palma voltada para cima, numa atitude toda confiante no seu abandono, cortando de través o bastãozinho de luz que escorria sempre, sereno, até à porta; via-se-lhe no pulso a mancha arruivada, que ela, no mais inviolável segredo de si própria, acreditara sempre uma marca de predestinação.

 

in A Sibila – Agustina Bessa Luís

Read Full Post »

Durante os dias 29 de abril e 02 de maio, decorreu na Escola Secundária Daniel Sampaio a 2ª Mostra do Filme Solidário realizada, este ano lectivo, no nosso Agrupamento.

Tratou-se de uma atividade dinamizada pelas Bibliotecas (VR+DS), no âmbito da Educação para a Cidadania. A Mostra do Filme Solidário consiste na apresentação de curtas-metragens de carácter não comercial que visam a reflexão sobre comportamentos sociais e temáticas de impacto global: desenvolvimento sustentável (Norte global/ Sul Global), Objetivos do Milénio, ODS (Objectivos de Desenvolvimento Sustentável), igualdade de género, ambiente, exemplos positivos, comportamentos de risco, violência, fome, direitos de autor.

Nestas sessões, participaram alunos de turmas do 7º ao 12º ano, num total de nove turmas. Em cada uma das sessões, após a visualização das curtas, iniciou-se o debate que contou com a intervenção interessada e pertinente de muitos alunos e professores. Estes momentos foram mediados e dinamizados por Pedro Santos um dos voluntários da produtora independente HelpImages. O Pedro deu-nos a conhecer a missão desta ONG e o modo como filmes tão curtos carregam em si mensagens tão vastas. Nesta exploração, houve leituras polémicas, houve leituras consensuais. Houve debates mais entusiastas, outros menos empolgados, mas em todos eles esteve sempre presente a perceção do enriquecimento mútuo que estas horas de diálogo descontraído nos trouxeram.

Assim, saímos todos com uma certeza: se queremos um mundo melhor e mais sustentável, essa responsabilidade cabe a cada um de nós, sem exceção, pois não há Planeta B.

Dulce Sousa (professora-bilbiotecária da EBVR)

aceda à aos filmes exibidos na mostra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

ldv

Read Full Post »

No passado dia 3 de abril, no âmbito do Projeto Cientificamente Provável, os alunos das turmas do 10ºB, 10ºC, 10ºG e 12ºB e respetivas professoras de Matemática, nomeadamente, Teresa Amendoeira, Cristina Santos, Carmo Gomes e Dora Almeida, deslocaram-se ao Departamento de Matemática da FCT/UNL para participar na iniciativa Matemática às 4as.

Esta iniciativa pretende divulgar a Matemática junto dos alunos do Ensino Secundário, através de atividades lúdicas de cariz matemático. Os alunos e respetivas professoras participaram, durante esta tarde, nestas atividades, bem como a conhecer mais de perto as várias ofertas da FCT, em especial, no Departamento de Matemática e na Licenciatura em Matemática.

As atividades desenvolvidas foram as seguintes:

– “Estás infetado!”, na área da Biomatemática, dirigida a todos os alunos e aplicada em sala de aula. Nesta atividade foi simulada a propagação de duas doenças entre os alunos e, de seguida, tentou-se perceber como o número de infetados varia ao longo do tempo e como essa variação depende das características da doença. Por fim, fez-se uma exploração de como se pode descrever matematicamente a propagação dessas doenças.

– “A Espionagem e a Matemática”, na área da Estatística e Criptografia, dirigida aos alunos do 10º ano e aplicada em laboratório computacional. Com base na frequência relativa das letras na Língua Portuguesa, os alunos tiveram de descodificar uma mensagem encriptada com recurso à aplicação Excel.

– “Voa, voa, milionário!”, na área da Investigação Operacional, dirigida aos alunos do 12º ano e aplicada em laboratório computacional. Pretendia-se que os alunos descobrissem um percurso num mapa, minimizando a distância total percorrida e de forma a que se visitassem todas as cidades (seleccionadas) uma única vez e que regressassem ao ponto de partida. Com esse objetivo, os alunos utilizaram uma aplicação Excel.

– “Vem jogar na nossa Slot Machine”, na área da Estatística e Investigação Operacional, dirigida aos alunos do 12º ano e aplicada em laboratório computacional. Nesta atividade os alunos atribuíam as probabilidades de ocorrência das “figuras” da slot machine de forma a garantir a satisfação simultânea de certas exigências, quer dos jogadores quer da Administração do Casino.  Os alunos usaram uma aplicação Excel onde puderam utilizar a slot machine e, posteriormente, recorrendo à Simulação, puderam verificar se conseguiram satisfazer as exigências.

Os alunos revelaram interesse, colocaram questões oportunamente e realizaram todas as atividades com bastante empenho e dinâmica.

Todas estas atividades foram bastante pertinentes sobretudo porque os alunos ficaram com uma perspetiva das suas aplicações, nomeadamente.

– Os modelos matemáticos permitem-nos entender melhor a dinâmica das doenças, prever o seu comportamento futuro, bem como avaliar medidas de controlo a implementar e, por isso, a transmissão de doenças de uma população foi uma das primeiras áreas da saúde pública a ter um tratamento matemático rigoroso.

– A transmissão de dados com confidencialidade tem aplicações muito importantes, tais como, para fins militares, políticos e transações bancárias e ainda particular importância na proteção de dados nas transmissões digitais.

– A otimização de atividades, tem várias aplicações nomeadamemte em problemas de transportes, de que é um exemplo a recolha de lixos urbanos, e no planeamento de atividades, como o sequenciamento de operações numa linha de montagem.

Ana Cristina Santos (professora de matemática e membro da equipa INTEReST – E+)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

Apesar dos resultados nacionais só serem tornados públicos em junho, na Escola Daniel Sampaio já temos vencedores escrutinados: O Principezinho, no Ensino Básico, com uma expressiva de um total igualmente expressivo de votantes; e a Culpa é das Estrelas, no Ensino Secundário, com um muito mais modesto número total de votantes.

A todos os votantes agradecemos a participação, especialmente aos entusiastas do 7º e 8º anos que fizeram campanha pelas suas obras favoritas!

Read Full Post »

Older Posts »