Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Música’

Os ritmos quentes de Havana invadem a ESDS

No âmbito do projeto “Há música na Biblioteca”, apoiado pelo Clube da Música, no dia 23 de Janeiro, entre as 13:40H. e as 15:15H., a professora Paula Duque “abriu à escola” o acesso a uma das suas aulas do módulo 9 – Instrumentos Rítmicos – da disciplina do 12º Ano de Expressão Corporal, Dramática e Musical, da turma J , do Curso de Técnico de Apoio à Infância, durante a qual decorreu um workshop de percussão, ministrado pelo professor cubano – Hector Marquez, graduado no Curso Superior de Música, na área da percussão, pelo Conservatório de Havana.

Depois de se ter apresentado, o professor nomeou os instrumentos de percussão, que levou consigo para a aula, explicou e exemplificou como cada um deles produzia som, tendo concluído esta primeira parte informando os presentes de como aqueles são afinados e em que tipo de música são mais utilizados. Seguidamente, falou das técnicas implícitas à forma de tocar timbales e “guyro” (com baquetas), cajon, bongô, conga e pandeireta (com as mãos).

Após esta fase, passou-se à parte prática do “workshop”, tendo os presentes sido divididos em vários grupos de seis elementos, os quais tocaram entusiasticamente diversos ritmos, em conjunto, seguindo as orientações e instruções do professor, com e sem a sua participação.

A seguir, os alunos colocaram algumas questões, às quais o professor respondeu, tendo assim esclarecido todas as dúvidas que surgiram.

Por fim, a professor fez uma demonstração de como tocar simultaneamente quatro dos instrumentos utilizados durante o workshop, que culminou num aplauso geral.

Paula Duque

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

No passado dia 2 de dez., o poeta fingidor, Fernando Pessoa, viu a sua vida e obra ser recriada e homenageada por alunos do 12 ano dos Cursos Profissionais, na biblioteca da ESDS.
Em estilo café-concerto, Fernando Pessoa revelou o seu “eu” fragmentado e plural. Eis então que surgem Alberto Caeiro, Ricardo Reis, Álvaro de Campos e até mesmo Alexander Search, que em registo musical emocionou a plateia – E. E., alunos, Professores, Direção.
Os alunos e alunas assumiram com convicção os rostos do poeta através de sentidas leituras de interessantíssimos poemas. Alguns bem divertidos, revelando um Fernando Pessoa (ou seria Álvaro de Campos?!…)  irónico, meigo e ridículo, pois “todas as cartas de amor são/ Ridículas. […] Mas, afinal, /Só as criaturas que nunca escreveram/ Cartas de amor/ É que são/ Ridículas”.
Também através da dança e da música estes (re)criadores deram “vida” ao grande escritor da língua portuguesa, falecido a 30 de novembro de 1935, data que este café-concerto pretendia também assinalar.
Sob orientação e organização das Professoras Maria Chinopa e Rute Magalhães (Português), bem como com a colaboração e monitorização das Professoras Paula Duque (Português/Música)e Conceição Marchã (Inglês), o café-concerto foi um sucesso de diversidade pedagógica e de abordagem interdisciplinar, a que não quis faltar o próprio Fernando Pessoa.
Que voltem sempre, ó Utilizadores, ó Leitores, ó Escritores desta biblioteca!
Dulce Sousa

Read Full Post »

zeca-afonso

Read Full Post »

DB

imagem editada daqui

Read Full Post »

Lucille (B.B. King)

Lucille (B.B. King)

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

Morreu Lou Reed, o poeta do rock (artigo no Público)

imagens: daqui, daqui e daqui

Read Full Post »

vm

Saber mais: Vida e Obra de Vinicius de Moraes

Disponível para requisição na BE, deste autor:

  • O operário em construção (localização: 821.1/.9. MOR)
  • Antologia poética (localização: 821.134.3. MOR)

Read Full Post »

 La Vie en Rose, 1954

Edith Piaf (19.2.1915 – 10.10.1963)

Disponível na BE:  La vie en Rose A extraordinária vida de Edith Piaf, Realização: Olivier Dahan, Distribuição: Lusomundo, 2007, DVD (cota: 8-3. VIE) 

Read Full Post »

Read Full Post »

versão original editada em 5 de outubro de 1962

O ano de 2012 continua fértil em efemérides – além de outras já referidas aqui no Bibli,  registamos que foi há 50 anos que os Rolling Stones deram o seu primeiro concerto e que, por sua vez,  foi precisamente em 5 de outubro de 1962 que o primeiro single dos Beatles, Love me do,  viu a luz do dia. Os 8 anos que se  lhe seguiram (o grupo separar-se-ia em 1970) foram frenéticos para os quatro rapazes de Liverpool e para os seus seguidores e marcaram para sempre a história da música popular.

É um exercício inútil enumerar a lista de canções, compostas essencialmente pela dupla Lennon-McCartney, que se tornaram hinos de diversas gerações, mas é curioso verificar como a imprensa portuguesa em 1963 se referia ao “fenómeno”:

Damos a mão à palmatória! Tentámos dizer “não” a esse vento de loucura que são os Beatles, jovens barulhentos e cabeludos que põem a juventude em alvoroço. Tentámos impedir-lhes a entrada nestas páginas. Mas não é possível! Como um autêntico vendaval, os Beatles aqui estão. E seja o que Deus quiser!

clique para ampliar

clique para ampliar

clique para ampliar

Aceder a uma breve foto-cronologia dos Beatles aqui

Fontes: The Beatles Forever, The Beatles Rarity

Read Full Post »

Letra: Gilbert Bécaud & Maurice Vidalin. Música: Gilbert Bécaud & Neil Diamond

Read Full Post »

1.6.1926 – 5.8.1962

your candle burnt out long before

your legend ever did*

Bernie Taupin (Candle in the Wind)

*a tua vela extingiu-se bem mais cedo do que a tua lenda

 

 

 

Read Full Post »

Foi em 2 de agosto de 1962 que a canção Garota de Ipanema, com letra de Vinicius de Morais e música de Tom Jobim, foi tocada pela primeira vez em público num bar do Rio de Janeiro. Originalmente chamada Menina que passa, foi, como admitiu mais tarde Vinicius, inspirada numa então adolescente, Heloísa Pinheiro, que frequentava o Bar do Veloso na Praia de Ipanema onde os dois artistas eram clientes habituais das mesas da esplanada.

A canção ganhou nos anos subsquentes uma popularidade mundial tendo sido alvo de inúmeras versões, entre as quais se contam as de Frank Sinatra, que a globalizou em inglês, e, muito mais recentemente,  Amy Winehouse. Ainda hoje é talvez uma dos maiores símbolos da Bossa Nova evocando uma doce melancolia sensual e poética de verão que, não obstante ter vindo à luz em pleno “inverno” tropical no hemisfério sul, não podia ter um aniversário mais adequado para quem a revive aqui neste agosto português.

Imagem daqui

Fernando Rebelo

Read Full Post »

Read Full Post »

Saber mais

Read Full Post »

Older Posts »