Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘vento solar’

As auroras polares, ou, como são mais conhecidas, auroras boreais, são um fenómeno muito bonito e peculiar que durante muitos anos inspirou muitos mitos. Na mitologia nórdica, os Vikings achavam que as auroras eram uma ponte entre o nosso mundo e Asgard, onde o Thor e outros deuses viviam. Noutro mito, elas eram a luz refletida pelas armaduras das Valkyries, um conjunto de mulheres guerreiras. Além disso, os finlandeses pensavam que era o anjo Michael a lutar contra o diabo.

2-northern-lights-greenland

Hoje em dia sabe-se que isto são apenas mitos e não a verdade. O famoso astrónomo Galileo Galilei foi quem deu o nome de Auroras Boreais, que significa “amanhecer do norte”, em homenagem à deusa do amanhecer Aurora.

Mas a verdadeira origem das auroras polares foi apenas descoberta em 1896 pelo cientista norueguês Christian Birkeland. No centro da terra, existe um núcleo de ferro fundido que gera campos magnéticos que se estendem pela crusta terrestre e no espaço em volta de todo o planeta, criando aquilo que se chama o campo magnético da Terra.

É fundamental que a Terra o tenha, pois o campo magnético protege-nos de todas as partículas que são “cuspidas” pelo sol. O sol é tão quente que produz plasma (um quarto estado de matéria) onde átomos positivos (iões) e eletrões negativos andam livremente uns em volta dos outros. O plasma arrasta o campo magnético para além da superfície do sol, fazendo com que este se estique e contorça como um elástico. Quando o elástico se parte, envia biliões de partículas de plasma fora do sol. Ou seja, devido ao facto de que os iões e os eletrões são partículas de carga muito alta, têm energia suficiente para sair da gravidade do sol e dispersarem-se pelo espaço, indo em direção do planeta Terra como se fossem um tiro de uma espingarda de “odio solar”. Isto é o que chamamos de tempestade solar.56154e212f30d

Uma tempestade solar consegue atingir velocidades de 8 milhões km/h e em apenas 18 horas atingir a Terra. Quando isto acontece, o campo magnético da Terra desvia a tempestade. No lado de dia do planeta, o campo magnético estica-se e cria um “funil” para o gás da tempestade solar se dirigir para os polos, criando assim a aurora de dia. No lado de noite do planeta, o campo magnético estica-se ainda mais fazendo com que o “elástico” de plasma se quebre e o gás da tempestade solar se dirija para os polos, criando assim a aurora de noite. Este fenómeno pode acontecer a qualquer altura do dia, mas as auroras de dia não são visíveis pois a luz do sol ofusca-as.

Apesar do nome auroras boreais, também existem auroras austrais. Ambas são auroras polares, mas enquanto uma acontece no polo norte a outra acontece no polo sul. E, por isso, na nossa opinião, o nome de aurora boreal não devia ser usado como sinónimo para aurora polar.

northern-lights (1)

Ambos os tipos de aurora acontecem devido à reação química entre os eletrões que entram pelos polos na nossa atmosfera e os elementos da mesma, principalmente o oxigénio e o azoto. O eletrões transferem energia para os átomos de oxigénio e azoto, excitando-os. Para que estes voltem ao seu estado fundamental, os átomos devem libertar energia em forma de fotões. Os fotões são a partícula elementar das radiações eletromagnéticas como a luz.

Assim, dependendo onde esta reação ocorre na atmosfera, assim vão ser emitidas diferentes radiações: a maiores altitudes, o oxigénio emite uma radiação na zona do vermelho; a altitudes mais baixas, emite uma radiação na zona do verde e amarelo e a altitudes ainda mais baixas, o azoto emite uma radiação na zona do azul. Mas estas “cores” podem misturar-se e formar novas cores como o rosa, roxo e branco. É como se fosse um arco-íris do espaço.

Infelizmente, as auroras não são apenas um bonito espetáculo de luzes mas também têm consequências para o nosso corpo e o planeta. Alguns estudos afirmam que este fenómeno pode mudar o fluxo sanguíneo, especialmente ao nível dos capilares, afetando assim a nossa pressão sanguínea e aumenta a adrenalina no corpo. Isto acontece porque quando a tempestade solar atinge a Terra, o seu campo magnético pode mudar por um momento e dessa forma mudar o nosso batimento cardíaco.

No entanto, as tempestades solares não são perigosas para pessoas saudáveis mas sim para pessoas com um sistema imunitário fraco como pessoas idosas e bebés recém-nascidos.

Para além disso, também podem afetar as comunicações de rádio. As tempestades solares podem afetar a atmosfera e dessa forma afetam as ondas de rádio que estão a comunicar informação pelo mundo todo.Este fenómeno não pode acontecer sem haver uma tempestade solar. A tempestade solar explode os cabos e fios elétricos da rua devido à quantidade de energia magnética que tem.

A atmosfera da Terra também se pode expandir um pouco quando as auroras polares estão a acontecer. Isto significa que qualquer satélite a voar a baixa altitude pode atingir a atmosfera e em casos mais graves cair na superfície terrestre.

Por último, a maioria das pessoas pensa que as auroras boreais são um fenómeno raro o que não é verdade. Elas acontecem a toda a hora, mas devido à luz do sol não as conseguimos ver. A sua intensidade depende porém da intensidade da tempestade solar, logo quanto maior a tempestade solar maior será a aurora.

Mariana Mamede, Beatriz Nabais e Bárbara Santos, 12ºA

Referências bibliográficas:

Nota do editor: este artigo é uma sinopse do trabalho apresentado pelas alunas no âmbito da seleção de alunos para a participação de um encontro SMiLES (KA2), a decorrer em Abril 2018, na Turquia.

 

Read Full Post »