Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Lusofonia’

unnamed

Read Full Post »

No âmbito da Semana da Leitura, que teve lugar na ESDS entre 21 e 28 de março, foi igualmente projetado um diaporama na biblioteca, sala de professores e sala de alunos. O objetivo era dar a conhecer de uma forma sucinta um pouco da história da nossa língua e o que dela disseram alguns dos que dela fizeram  a sua arte e o seu ofício – escritores portugueses, brasileiros, angolanos, moçambicanos – sem preocupações de seguir nenhum critério curricular ou cânone literário, apenas dar voz e rosto a algumas vozes e rostos desta lusofonia, no ano em que se comemoram 8 séculos da sua oficialização escrita.

O diaporama, cujo um compacto em filme aqui publicamos, foi posteriormente utilizado em aulas de Português de algumas turmas de 10º e 11º ano, onde os alunos tiveram oportunidade de (re)conhecer alguns autores que nele figuravam e de escolher e debater os excertos que mais gostaram.

Algo ficou para além da constatação de que Mia Couto é nome de homem: língua-passageira das nossas caravelas quinhentistas, lembrámo-nos que ela já é pertença de mais de 200 milhões de falantes um pouco por todo o mundo.

Fernando Rebelo (PB)

Read Full Post »

CARTAZaceda aos artigos sobre atividades da Semana da Leitura

Read Full Post »

clique para aceder

clique para aceder

Neste ano em que se celebram os 8 séculos da língua portuguesa aqui fica uma sugestão de um canal YouTube, uma lista de reprodução gerida por Carlos Alberto Didier, dedicado à língua portuguesa e à literatura da lusofonia. Nesta compilação de 175 documentos audiovisuais incluem-se documentários sobre grandes clássicos da literatura portuguesa (muitos deles curriculares, de Camões a Saramago), assim como de outros países da lusofonia, numa variedade de originais lidos e declamados, documentários e entrevistas – sem dúvida um espólio muito interessante quer para fins letivos, quer para  simples amantes desta nossa pátria-língua.

Read Full Post »

cartaz II concurso

clica para saber mais

Read Full Post »

1365013513fest

clique para mais informações

Read Full Post »

clique para aceder

Read Full Post »

Read Full Post »

Uma das razões para escrever sobre esta matéria foi a enquete (sondagem) do Bibliblog e as curiosas diferenças entre o português de Portugal (europeu) e o português do Brasil, que é popularmente chamado de “Brasileiro”, e principalmente, porque quando eu cheguei a Portugal não entendia quase nada do que as pessoas falavam comigo e as pessoas também não entendiam muito bem o que eu falava, até brincavam que eu precisava de um dicionário para falar com eles. É claro que surge sempre entusiasmo e curiosidade por parte das pessoas no que diz respeito ao modo de pronunciar certas palavras no português do Brasil.

Apesar de ser um dos filhos da globalização, sou contra o Novo Acordo Ortográfico, pois acho que cada país deveria manter a sua regra ortográfica. Sou contra essa ideia da globalização, sou a favor do encontro das culturas, do intercâmbio e da diversidade, mas contra a unificação de uma só cultura dita dominante, desta perda de identidade cultural. Mas, também devemos ter em conta, que num mundo globalizado a existência de várias versões do português é um facto limitador.

Os Romanos chegaram no Noroeste da Europa em 218 a. C., trazendo o Latim vulgar. Todas as províncias da Península Ibérica, à excepção dos Bascos, admitiram o latim como língua. A chegada dos Romanos à península marcou o inicio da nossa língua, o Latim, mas num estado corrompido, conhecido como latim vulgar.

Em 409, os germânicos invadiram a Península através dos Pirenéus. Inicia-se então o período mais sombrio da Península. Provocada a queda do Império Romano pelos Bárbaros, a língua dos Bárbaros misturou-se com o Latim, e originou as línguas nacionais europeias (latinas).  O latim popular evoluiu e transformou-se no proto-galaico-português. No entanto, os reis cristãos a partir do norte de Portugal foram conquistando o sul, povoado pelos Árabes , com isto o galaico-português sofreu diversas transformações e converteu-se progressivamente no português.

Os primeiros textos em português apareceram por volta do séc. XIII. Nesta época o galego e o português eram uma só língua. Com a expansão ultramarina, a língua portuguesa, foi transportada para “novos” continentes. Hoje os países distribuídos pela África, Ásia e América que constituem os PALOP, são independentes de Portugal porém a linguagem permaneceu; desses países destaca-se o Brasil, onde 191 480 630 (censo 2000) pessoas têm como língua materna o português.

Através dos Humanistas, deu-se a valorização das línguas nacionais europeias, pois estes traduziam obras clássicas e criavam obras inspiradas nos autores greco-latinos. Em Portugal, Luís de Camões cantava os feitos heróicos e a glória dos navegadores portugueses na sua famosa obra “Os Lusíadas”.

Camões cultivava a forma mais erudita da língua. Em toda a Europa, notou-se um movimento de afirmação das línguas nacionais, o que consequentemente, originou a sua uniformidade ortográfica, regras e um vocabulário mais rico. Shakespeare em Inglaterra e Maquiavel em Itália foram apenas alguns dos humanistas que ajudaram a construir as literaturas nacionais do Renascimento.

O português do Brasil tem uma certa particularidade, pois, sendo possuidor de um vasto território e diversidade geográfica, este país tem uma dimensão proporcional à sua variedade dialectal. Os especialistas distinguem os dialectos entre Norte e Sul. Eu mesmo, quando ouço uma pessoa oriunda de outra região do Brasil, sem ser o sudoeste, às vezes, sinto alguma dificuldade em entender, devido a algumas diferenças entre termos e na pronúncia. No Brasil, esta diversidade está no entanto mais relacionada com o aspecto sociocultural do que com o geográfico. A diversidade é bastante evidente no momento em que um homem culto fala com o seu vizinho, que é analfabeto. O “brasileiro” apresenta um vocabulário que, em parte, se afasta da “Língua de Camões”, como é possível conferir nas linhas abaixo.

“Assim como os outros idiomas, o português sofreu uma evolução histórica, sendo influenciado por vários idiomas e dialetos, até chegar ao estágio conhecido atualmente. Deve-se considerar, porém, que o português de hoje compreende vários dialetos e subdialetos, falares e subfalares, muitas vezes bastante distintos, além de dois padrões reconhecidos internacionalmente (português brasileiro e português europeu). No momento actual, o português é a única língua do mundo ocidental falada por mais de cem milhões de pessoas com duas ortografias oficiais (note-se que línguas como o inglês têm diferenças de ortografia pontuais mas não ortografias oficiais divergentes), situação a que o Acordo Ortográfico de 1990 pretende pôr cobro.”

Wikipédia (pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_portuguesa)

A língua portuguesa é falada por mais de 240 milhões de pessoas, como língua nativa, e é também a quinta língua mais falada no mundo ocidental. É o idioma oficial de alguns territórios africanos, da Índia Portuguesa e na América do Sul, o Brasil.

Em São Paulo, encontra-se o único Museu da Língua Portuguesa, que tem como objetivo criar um espaço vivo da língua portuguesa, revelando aspectos da língua quase desconhecidos.

Segundo os seus organizadores, “deseja-se que, no museu, o público tenha acesso a novos conhecimentos e reflexões, de maneira intensa e prazerosa. “O museu tem como alvo principal a média da população brasileira, composta de pessoas provenientes das mais variadas regiões e faixas sociais do país, mas que ainda não tiveram a oportunidade de obter uma ideia mais precisa e clara sobre as origens, a história e a evolução contínua da língua”.

Wikipédia (pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_portuguesa)

No dia 1º de Janeiro de 2009 entrou em vigor no Brasil a nova ortografia do português, com base no acordo de 1990. Algumas palavras perderam o acento, mudaram as regras do hífen e o trema foi extinto.

O Português é um dos principais elos entre os países lusófonos, além disto existe a CPLP Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa – que tem como um dos objetivos a preservação da língua.

Datas do acordo:

  • Dezembro de 1990: Criação do Acordo;
  • Agosto de 1991: Portugal ratificou;
  • Janeiro de 1994: Implantação prevista (não aconteceu);
  • Abril de 1995: Brasil ratificou;
  • Janeiro de 2009: Implantação no Brasil (transição);
  • Janeiro de 2013: Obrigatório no Brasil.

Os países participantes do Acordo Ortográfico são: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor -Leste.

Diferenças entre algumas palavras de Portugal e o “Brasileiro”:


Médio Oriente – Oriente Médio                             Dossier – Fichário

Palinha – Canudo                                                      Telefone Público – Orelhão

Dossie – Fichário                                                       Auto-carro – Ônibus

Telemóvel – Celular                                                 Este –  Leste

Comando-Controle Remoto                                 Centro Comercial – Shopping

Bombas – Posto de gasolina                                     Relva – Grama

Portagem – Pedágio                                      Pequeno-Almoço – Café da manhã

Preservativos – Camisinha                                      Conduzir – Dirigir

SIDA – AIDS                                                               Cancro – Câncer

VHI – HIV                                                                   ADN – DNA

Macacos – Meleca                                                   Ordenado – Sálario

Arrendar – Alugar                                                    Rato – “Mouse”

Colunas – Caixa de Som                                            Levantamento – Saque

Ecrã – Monitor                                         Desodorizante – Desodorante

Cuecas Femininas – Calcinhas                                 Fita-cola – Durex

Casa de Banho – Banheiro                                       Afiador – Apontador

Sumo s/gás – Suco                                                  Sumo c/ gás – Refrigerante

Lixívia – Água Sanitária                                             Gelado – Sorvete

Fato – Terno                                                  Banda Desenhada – Quadrinho

Cacifo – Armário da escola                                       Seleccionador – Técnico

Massa Instantâneo – Miojo                                      Fotocópia – Xerox

Equipa – Equipe                                                        Golo – Gol

Balisa – Trave                                                           Guarda-redes – Goleiro

Botija – Botijão de gás                                              Comboio– Trem

Boleia – Carona                        Líquido Correctivo – Liquipaper / Correctivo

Tabaco – Cigarro                                        Maquilhagem – Maquiagem

Pai Natal – Papai Noel                                            Mãe Natal – Mamãe Noel

Lava carros – Lava Jato                                             Talho – Açougue

Carne Picada – Carne Moída                                Dobragem – Dublagem

Mina – Ponta de grafite                                             Viola – Violão

Boxe – Cueca                                                              Coima – Multa

Camisola – Camisa de Jogador de Futebol              Chávena – Xícara

Pijama Feminino – Camisola                  Hospedeira de Bordo – Aeromoça

T – Shirt – Camiseta                                                 Cabular – Colar nas provas

Bilhete de Identidade – Carteira de Identidade         Natas – Creme de Leite

Carta de Condução – Carteira de Motorista                         Carocha – Fusca

Frigorifico – Geladeira                                                         Peão – Pedestre

Telemóvel – Celular                                                    Sebenta – Apostila

Eléctrico Bonde

Alguns filmes e Séries de TV também mudam de nome:

Portugal/Brasil

O Reino de Deus/Cruzadas

The O.C – Na Terra dos Ricos/The O.C – Um Estranho no Paraíso

A Idade do Gelo/A Era do Gelo

Tudo que uma Rapariga quer/Tudo que uma garota quer

Clube dos Poetas Mortos/Sociedade dos Poetas Mortos

Curiosidades:

Assim, como quando eu cheguei em Portugal, eu não entendia quase nada, por causa das “gírias”, e sei que se alguns dos meus colegas for ao Brasil também não vai entender quase nada, principalmente os jovens. Aqui vão algumas “gírias” do Rio de Janeiro:

Vamos jogar uma pelada?

Pelada, é um futebol, mas um futebol de rua, ou com pessoas que não sabem jogar muito.

Eu tenho um amigo que é maior “X-9”.

X-9 é uma pessoa pouco confiável, por exemplo, quando você conta uma coisa p’ra ela, ela conta para outra pessoa.

A sua “mina” é muito legal.

“Mina”, é uma rapariga, ao contrário de que em Portugal, que é ponta de grafite.

Podre de chique – elegantíssimo                            Por fora – desentendido

Quebrar o galho – resolver o problema                  Ragu – comida

Sacana – individuo sem caráter                                Vida mansa – vagabundo

Safo – sabido                                      Tirar de letra-livrar-se de uma dificuldade

Patricinha – Feminino de “Playboy”       Baranga ou Canhão – Mulher feia

Bufunfa – Dinheiro                       Destrambelhado – Desastrado, descuidado

Gringo – Estrangeiro                                 Estar duro – Estar sem dinheiro

Filé – Mulher bonita

Quando uma pessoa se machucou em Portugal fala-se aleijou. No Brasil aleijou-se é quando uma pessoa perde a perna. Quando a pessoa não tem uma perna ela é uma aleijada.

Luiz Felipe Monteiro, 10º E

Read Full Post »

Valha o que valer, os resultados da última sondagem que promovemos aqui no Bibli, sobre o acordo ortográfico, já em fase de implementação, dão uma maioria àqueles que se opõem, 54%, contra os 28% que acham que trará benefícios a todos os falantes da língua portuguesa. Finalmente, para 11%, o assunto é indiferente, e 7% afirmam mesmo que nem sequer sabiam que já estava em vigor.

O tema não é, aparentemente, em nenhum dos lados do Atlântico, uma prioridade nos debates, apesar de diversas sondagens se sucederem e não ser difícil, especialmente em sítios brasileiros, encontrar formas humorísticas de ver tratado o assunto.

No post em que lançámos esta sondagem remetemos os leitores para alguns sítios que continham informação sobre o assunto, com enquadramento histórico, novas regras ortográficas, etc. Sugerimos-lhes desta feita outros que mantêm, nos dois lados da barricada e com abundante argumentação, uma discussão acesa sobre o tema.

Assim, a Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico, movimento criado em 2008 que conta com uma forte lista de subscritores, deixou no nosso post uma mensagem apelando à subscrição dos nossos leitores. No sítio da iniciativa, para quem queira formar uma opinião mais avisada, podemos encontrar uma série de artigos fundamentando a inutilidade do acordo e até o impacto negativo do processo em curso da sua implementação, destacando-se a presença de Maria do Carmo Vieira, nossa colega da disciplina de português, já conhecida noutras causas em defesa do que acha ser o melhor para a nossa língua.

Mas, se quisermos saber o que na opinião de outros (cujo parecer acabou por prevalecer com legitimitidade legislativa) o fundamenta, podemos igualmente ler a entrevista de Ana Laborinho ao DN e a do filólogo brasileiro Evanildo Bechara ao Público, transcrita no Ciberdúvidas, onde defende que a língua portuguesa hoje não pode ter um só dono, em resposta à reacção, aparentemente mais negativa, verificada no nosso país.

De uma forma ou de outra, segundo noticia o  Público, a nova ortografia irá chegar às escolas já no ano lectivo de 2011-2012, reflectida na redacção dos novos manuais escolares.

Não compete porém à edição do Bibli tomar partido, deixando apenas aqui a reflexão a quem se interesse pela questão. E, quando passa um mês sobre a sua morte, é tempo agora de perguntar aos nossos leitores qual é na sua opinião a obra mais marcante do escritor José Saramago, que ainda há dois anos  manifestava numa entrevista a sua compreensão em relação a esta normalização ortográfica, não deixando no entanto de salientar que aos 85 anos  já era tarde para voltar aos bancos da escola primária.

Read Full Post »

Um site brasileiro com uma síntese bem estruturada sobre a História da Língua Portuguesa e uma viagem pelo mundo lusófono actual – ideal para uma visão rápida do tema.

aceda ao site

…E um portal de e para professores de Ciências, patrocinado pela Fundação Caloste Gulbenkian, com acesso a materiais didácticos desde o 1º ciclo até ao 12º Ano para as disciplinas de Ciências Naturais, Biologia, Geologia, Química, Física e Matemática.

aceda ao site

Read Full Post »